Na sequência do excelente artigo publicado pelo jornalista José Gomes Ferreira

https://sicnoticias.pt/opiniao/2020-07-21-O-Crime-Economico-do-Hidrogenio?fbclid=IwAR1w0x3leVqdXusxVIoI1cPyIM8bBEZ5qH3AJncHpBhDBply8k01bbKgOL8

Vem a Liga Nacional reforçar e realçar alguns aspectos.

Se, como é o caso, tendo prévio conhecimento, permitirmos que o governo concretize um crime económico de proporções gigantescas sem reagir, seremos todos co-responsáveis, seremos mesmo coniventes com o crime, o que é por si só, uma atitude criminosa.

O governo prepara-se para distribuir 7 mil milhões pelos amigos do costume, por incrível que pareça, os mesmos que ficaram a dever muitos milhões aos bancos, nomeadamente o novo banco que ainda hoje andamos a pagar.

Numa altura em que a produção de electricidade já é excedentária em Portugal, em que frequentemente se paga às barragens para não produzirem, em que nas horas baixas, ou seja de madrugada, se está a pagar 90,00€ por MW  às eólicas para oferecer a electricidade a Espanha (porque as redes de Portugal e Espanha têm ligação e se a produção em Portugal é excessiva a electricidade acaba por ir para a rede Espanhola) o estado prepara-se para triplicar o número de estruturas de produção eléctrica, todas subsidiadas.

Não nos bastava ter as torres de produção de energia eólica a estragar a paisagem, agora vamos também ter centenas de centrais de produção de energia fotovoltaica com enormes extensões de painéis solares.

A energia produzida pelos painéis solares é paga em média a 400,00€ o MW quando no mercado vale em média menos de 50,00€.

O governo pretende fazer mega-estruturas de produção fotovoltaica para depois utilizar essa energia para fazer a electrólise da água e assim produzir hidrogénio.

Brilhante investem-se milhares de milhões a produzir uma energia que não é rentável, para com ela produzir uma outra que é ainda menos rentável, de génio, sem dúvida!

O governo passou anos a promover a produção de energia eólica, acabaram os subsídios  e subitamente deixou de o fazer, igualmente passou anos a promover, a divulgar e a incentivar os carros eléctricos, mas só enquanto houve subsídios para isso, agora que chegou a hora de acabar com os subsídios aos carros eléctricos e à distribuição de electricidade para carros, imagine-se; afinal o futuro não são os carros eléctricos, são os carros a hidrogénio!

Mas afinal o negócio desta gente é produzir energia ou receber subsídios?

O grave é que o crime não se reduz ao dinheiro que é desviado para os bolsos de alguns, o mais grave mesmo é que, como temos de pagar esses subsídios, a electricidade fica mais cara, pois como estes subsídios são para produzir energia cia-se uma taxa sobre a electricidade para sustentar este crime.

Assim toda a energia em Portugal fica artificialmente cara, o que é mau para as pessoas que pagam a electricidade de suas casas, mas mais grave ainda todas as empresas utilizam electricidade para funcionar, estando a pagar mais caro do que o que deviam, diminuiu a competitividade delas em relação às empresas de outros países, consequentemente pagam salários mais baixos para poderem concorrer.

Somos por isso duplamente prejudicados com este crime.

Possivelmente este enorme disparate foi negociado nas brilhantes negociações que o Costa diz que fez para recebermos mais dinheiro na sequência do COVID, é que no fim de contas, quem vai receber os 7 Mil Milhões de euros é a Alemanha e a Holanda (através da venda da tecnologia).

Possivelmente estes países, que inicialmente não queriam pagar para a recuperação da europa do sul, aceitaram pagar, desde que fizéssemos este disparate, para assim lhes devolvermos a contribuição deles e viva a solidariedade europeia!

Se nada for feito para impedir este disparate já se podem escrever os títulos dos jornais para daqui a uns anos “Mega fraude nos subsídios ao hidrogénio”, “Suspeitas de corrupção nos apoios ao hidrogénio”.

Por tudo isto a Liga Nacional apela à mobilização dos portugueses para não permitirem este enorme crime contra a economia da nação portuguesa.

Tem de ser a população a agir, pois todos os partidos da oposição parlamentar preferem receber a sua parte a denunciar a fraude.

Viva Portugal

Viva o Nacionalismo Liberal

Viva a Liga Nacional